I Seminário Nacional nas Teias da Amazônia
Sujeitos, Identidades, Territorialidades, Linguagens e Diversidades


I SEMINÁRIO NACIONAL NAS TEIAS DA AMAZÔNIA: 

SUJEITOS, IDENTIDADES, TERRITORIALIDADES, LINGUAGENS E DIVERSIDADES 

O I Seminário Nacional Nas Teias da Amazônia: sujeitos, identidades, territorialidades, linguagens e diversidades, promovido em parceria acadêmica entre os Programas de Pós-Graduação da Região Norte: Universidade Federal do Pará - UFPA, Universidade Federal Oeste de Pará- UFOPA e Universidade Estadual Oeste do Paraná - UNIOESTE, pretende ampliar o debate sobre a Amazônia nas dimensões dos sujeitos, identidades, territorialidades, linguagens, diversidades ambiental, cultural e produtiva, visando contribuir para a consolidação e fortalecimento da pesquisa, e do ensino de graduação e de pós-graduação na região.

Estudar a região amazônica é confrontar-se com a diversidade cultural e ambiental, com diferentes condições de vida locais, de linguagens, saberes, de valores, de práticas sociais e educativas, de sujeitos com múltiplas identidades e territorialidades tais como: ribeirinhos, pescadores, indígenas, remanescentes de quilombos, assentados, atingidos por barragens, além de citadinos (populações urbanas e periféricas das cidades da Amazônia) de diferentes matrizes étnicas e religiosas, constituídas e constituidoras de valores e modos de vida, sentidos e saberes amazônicos e sobre a Amazônia.

É relevante, todavia, assinalar nos processos constituidores das Amazônias, de formação cultural, política e econômica, na constituição de conformação das suas populações e de resistências de suas identidades político-culturais que se revelam, de um lado os conflitos fundamentados na desigualdade pautada no paradigma de racionalidade eurocêntrico e de produção capitalista hegemônicos, produtor e difusor de uma política cultural conservadora, fundamentalmente excludente e, de outro, diversas amazônias e diversas lógicas que se sustentam numa dinâmica relacional entre os tempos - sociais, individuais e de natureza, para explicar suas práticas sociais, técnicas e racionalidade produtiva, que estão na invisibilidade e que gestam uma economia invisível.

Há necessidade, portanto, de construções de concepções, práticas e políticas que recoloquem e reconheçam o valor dessas populações amazônicas como protagonistas, na conjugação e diálogo com outros povos, para edificação de novos paradigmas epistemológicos e de desenvolvimento na Amazônia.

Nesta perspectiva, as linguagens e culturas amazônicas se constituem como espaços de estudos sobre saberes e práticas de grupos, comunidades e populações nas quais se configuram sociodiversidades tramadas nas teias de relações nacionais e globais, assim como, os múltiplos processos de trabalho na região amazônica, porque são diversos, multiculturais e complexos da ação humana sobre o território.

Todos esses aspectos são prenhes de sentidos e significações ensejando a realização de estudos em perspectiva interdisciplinar, possibilitando a participação de pesquisadores que transitam por diferentes áreas do conhecimento, mediante abordagens discursivas, fontes orais, etnografias e representações sociais, cartografias, entre outras.

PÚBLICO ALVO

Docentes, pesquisadores e discentes de graduação, pós-graduação e demais participantes por meio de estudos relacionados aos eixos principais do seminário (linguagens, saberes, diversidade sociocultural, sustentabilidade e desenvolvimento regional e impactos socioambientais), com propósito de abrir novos espaços para diálogos e reflexão de pesquisas sobre a região amazônica.

LOCAL/PERÍODO


O I Seminário Nas Teias da Amazônia: sujeitos, identidades, territorialidades, linguagens e diversidades, ocorrerá na Universidade Federal do Pará, campus universitário Bragança, no período de 12 a 14 de agosto 2019, contará com mesas redondas, grupos de trabalho, pôsteres de iniciação científica e atividades culturais, de forma a construir um diálogo interdisciplinar entre pesquisadores sobre a Amazônia nas dimensões dos sujeitos, identidades, territorialidades, linguagens, diversidades ambiental, cultural e produtiva.

OBJETIVOS

  • Possibilitar aos participantes, a partir de temáticas diversificadas um campo aberto de diálogos a respeito da construção de significados sobre a Amazônia e como estes se relacionam com os saberes de suas populações;
  • Construir diálogos entre os grupos de pesquisa ligados aos programas de pós-graduação e outros em parceria;
  • Socializar trabalhos acadêmicos produzidos nos Programas de Pós-Graduação, grupos de pesquisa, e em outros espaços ligados ou não aos PPGs;






APRESENTE SUA PESQUISA
 

O I Seminário Nacional nas Teias da Amazônia está abrindo espaços para que os projetos de Graduação e Pós-Graduação possam ser divulgados.

As rodas de conversas

 permitirão diálogos com grandes nomes:

A roda de conversa proposta proporciona a representação das mulheres, na obra de Dalcídio Jurandir e de outros autores e autoras, particularmente as trabalhadoras rurais, isto é,a presença de "vozes subalternas" (G.Spivak, 2010) no discurso literário. Trata-se de identificar como o romance com seus recursos de ficcionalizar a realidade (a relação fatos e ficção) pode alcançar o estatuto de "documento" sociológico. Esta leitura prevalece, particularmente, para as obras chamadas regionais. A roda de conversa proporciona, então, uma leitura teórica e interdisciplinar, nos moldes acadêmicos, com uma leitura criativa-artística.